Cron - Centro Regional de Oncologia

Cuidar da saúde no inverno é viver plenamente

Manter hábitos saudáveis é fundamental para o equilíbrio do corpo e da mente. Um dos fatores externos que pode influenciar na saúde é a variação de temperatura e com a chegada do inverno as mudanças de clima e de rotina ficam mais evidentes, o que exige maiores cuidados no dia a dia.

Diferente do que muitos acreditam, o frio não é o causador das infecções e problemas respiratórios. O médico infectologista, Guilherme Domingues, explica que as complicações ocorrem por causa de vírus, germes e bactérias, e a baixa temperatura apenas aumenta a incidência de casos. “Como no inverno as pessoas tendem a se aglomerar em espaços fechados, facilitam a transmissão de gripes e resfriados”, pois a falta de ventilação concentra os microorganismos no ambiente.

 

Cuidar da saúde no inverno é viver plenamente

 

Crianças, idosos e indivíduos com doenças respiratórias, ou que alterem a imunidade, são os grupos que precisam redobrar os cuidados nesta época do ano, visto que estão mais propensos a atividade dos vírus. As doenças mais comuns no inverno, segundo Domingues, são “gripes, resfriados e suas complicações, como sinusites, bronquites e pneumonias”.

Para evitar as contaminações algumas medidas podem ser adotadas no dia a dia. É preciso ter alimentação saudável para fortalecer a imunidade; beber bastante água; comer frutas; higienizar as mãos; cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar; e manter os locais arejados.

A prática regular de exercícios também mantém o organismo saudável. Além de controlar o peso e liberar endorfina, a atividade física evita o desenvolvimento de infecções e doenças cardiovasculares. Ela é responsável pela ativação da circulação sanguínea e estimula a produção de linfócitos, células de defesa imediata do organismo que auxiliam na proteção contra bactérias e vírus.

Outra alternativa é a vacinação. “As vacinas são aliadas no processo de proteção do corpo, principalmente contra a gripe. Mas é preciso salientar que a imunização não protege contra o resfriado”, expõem Domingues. O médico esclarece que, mesmo com a vacina, as pessoas podem ter gripes ao longo do inverno, pois há variações da doença e a proteção é destinada para os tipos mais comuns, que atingem grande parte da população.

Qual a diferença entre gripe e resfriado?

“A gripe é bem mais grave que o resfriado. No entanto, é possível preveni-la com a imunização”, explica Domingues. A grande diferença está na evolução do quadro viral e da existência de febre. Por ser mais agressiva, a gripe pode provocar fortes infecções, como a pneumonia viral, quando não bem tratada.

Gripe:
– Coriza
– Dor no corpo
– Espirros
– Febre alta

Resfriado:
– Coriza
– Mal estar
– Espirro
– Cura em poucos dias

 

Texto: Jéssica R. Mallmann
Créditos: Jornal A Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENDEREÇO

R. Geraldo Pereira, 405
Alto da Bronze, Estrela - RS, 95880-000
(Dentro do hospital de Estrela)

Fone

+55 51 3720.5018

E-mail

contato@cron.med.br

CONTATO

© 2019 CRON - CENTRO REGIONAL DE ONCOLOGIA