Cron - Centro Regional de Oncologia

As cartas de Catieli

As cartas de Catieli

 

Em meados do ano passado, recebi um e-mail do médico Hugo Schunemann, que é oncologista de vários hospitais do Estado. Ele contava sobre uma de suas pacientes, chamada Catieli, que morreu vitimada por um câncer agressivo em 2016.

Catieli tinha 30 anos quando soube que seu estado era terminal. A partir de então, dedicou o tempo que lhe restava para escrever cartas a seu filho, Matheus, então com oito anos. Sua ideia era pontuar as datas importantes da vida dele com essas mensagens.

O doutor Schunemann me enviou cópias de algumas dessas cartas, garantindo que a família gostaria que fossem publicadas. Durante meses, hesitei em fazer isso. Minha preocupação era o menino.

A publicação faria bem a ele?

Passamos todo esse tempo conversando, eu e o doutor, e ele com a família. Resolvi reproduzir aqui trechos das cartas. Abaixo deles, direi por que tomei essa decisão. A primeira carta era para ser entregue ao menino no dia da morte da mãe:

“Meu querido filho Matheus.

Posso imaginar que hoje é um dia muito triste, mas quero que saibas que sou muito feliz pela oportunidade de ter sido tua mãezinha!
Peço que não fiques triste com Deus, e rezes como te ensinei, pois, cada vez que dobrares os joelhos, mais perto estaremos.

Decidi escrever essas cartas pra você para estender um pouco mais o nosso tempo. As cartas são tuas, você pode fazer o que quiser com elas. Podes guardar, mostrar para quem quiseres, mas, caso elas te tragam tristeza, você não precisa ler. Não é minha intenção te deixar triste, muito pelo contrário, quero que te sirvam de consolo pela minha ausência. Meu maior desejo era ser curada para cuidar de ti, mas tu vais entender que os planos de Deus são maiores e diferentes dos nossos e isso não devemos questionar. Nunca, mas nunca duvide do meu amor por você, o maior amor que pode existir. Filho, escuta sempre os conselhos do teu pai. Assim como eu, ele só quer o teu bem, e ele é um grande homem, quero que tu te espelhes nele, sejas trabalhador e do bem como ele, sendo assim poderei ficar tranquila, tendo a certeza de que andarás no caminho do bem, e é isso que eu desejo pra ti!

Te amo muito”.

A segunda era para o dia do aniversário:

“Meu querido filho Matheus…

… Parabéns, hoje é o teu dia…

Que alegria, meu amor, comemorar teus nove anos! Me lembro como se fosse hoje o meu aniversário de nove anos! Que idade linda. Quero, neste dia, desejar pra você muita, muita saúde! E muitas alegrias. Também espero que ganhes presentes, porque é muito bom, eu adoro!
Para mim sempre foi uma alegria programar tuas festas de aniversário, mas tenho certeza de que teu pai fez isso muito bem. E que não faltem brigadeiros e refrigerantes, he he he!

Filho, tenho certeza de que tu estás te saindo bem na escola, capricha sempre, você é muito inteligente e muito capaz! Um grande orgulho para todos nós. Mas não esqueça de trilhar o bom caminho sempre, é só querer! Eu confio muito em ti e estou aqui escrevendo esta carta com o coração tranquilo, pois conheço muito bem teu coração e sei o quanto ele é bom e amoroso!

Não estou presente de corpo para te dar o abraço de urso bem apertado que gostaria, mas sinta-se bem abraçado com todo o meu amor e carinho.

Feliz aniversário, meu amor”.

A terceira era para o Natal:

“Meu querido filho Matheus!

Hoje é Natal, quando nossas esperanças se renovam. Espero que vocês tenham decorado a casa como sempre fizemos, para que fique bem bonita para celebrar o nascimento de Jesus.

Sabe que não tem sido muito fácil escrever essas cartas a longo prazo, já que na verdade não tenho como prever se estarei aqui com você ou não. Quero que saibas que estou fazendo isso com muito amor, para o grande amor da minha vida.
Quero te pedir que, não importa, meu filho, o quanto a vida possa te parecer dura e injusta, nunca percas a alegria e a vontade de viver. Seja sempre grato a Deus pelas coisas e pessoas especiais que ele colocou no teu caminho. Agradeça sempre, e lembre-se de que Deus é bom o tempo todo.

Neste Natal, talvez você sinta falta do abraço da mãe, mas, como já comentei nas outras cartas, eu estou e estarei sempre contigo, te cuidando e protegendo, este é o meu desejo. E a apresentação de Natal na escola? É sempre tão bonita e emocionante! Espero que não fique tímido nas apresentações, não se deve ter vergonha de fazer as coisas boas e bonitas!

Feliz Natal, meu amor!”.

David Coimbra para Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENDEREÇO

R. Geraldo Pereira, 405
Alto da Bronze, Estrela - RS, 95880-000
(Dentro do hospital de Estrela)

Fone

+55 51 3720.5018

E-mail

contato@cron.med.br

CONTATO

© 2018 CRON - CENTRO REGIONAL DE ONCOLOGIA